» A Federação » CEAF-AM » Ouvidoria » Regulamento Geral de Competições » Poderes da FAF » Estatuto » Estádios » Presidência » Diretoria » Conselho Fiscal » Notas Oficiais
Amazonense Série B 2019 Amazonense Feminino 2019 Amazonense Sub-21 2019 Amazonense Sub-17 2019 Amazonense Sub-15 2019 Copa dos Rios 2019
» Curso de Arbitragem » Escalas de Arbitragem » Relação dos Árbitros
» Composição » Corregedoria » Editais » Portarias » Resoluções » Resultado de Julgamento » Decisões » Punições » Acordãos » Notícias » Atos da Corregedoria » Tabela de Taxas, Custos e Emolumentos » Contato
» Galerias » Vídeos
» Fale Conosco » Fale com o Presidente
» Calendário 2019

NOTÍCIAS
Enviar por e-mail Compartilhar Imprimir

20.08.2017 - 09:20  |  Festa na Arena da Amazônia

Nacional vence Clube do Remo em amistoso Master em tarde de reencontros

Antônio Lima/SEJEL

Nacional 4x2 Remo.

 Uma das maiores rivalidades do futebol do Norte, o encontro dos Leões da Amazônia, Nacional e Remo, foi marcado por uma verdadeira festa na Arena da Amazônia. No final da tarde deste sábado (19), os craques do passado que tanto orgulharam os torcedores voltaram a viver um pouco da carreira vitoriosa do passado. O placar de 4 a 2 para o Nacional pouco importou. A confraternização dos jogadores e dos torcedores dentro do apoteótico estádio empolgou a todos.

 

Com o apoio do Governo do Amazonas por meio da Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), os ídolos azulinos fizeram um jogo limpo e de dar inveja a qualquer jogador da atualidade. Os gols do Leão foram marcados por Sildomar Abtibol, Sandro, Fernandinho e Chiquinho. O Remo descontou com Nildo (2).

 

“É uma satisfação muito grande jogar aqui na Arena. Ficamos felizes com essa abertura dada pelo Governo do Amazonas ao futebol máster. Passa um filme na nossa cabeça, nós não temos mais aquele vigor físico de outrora, mas temos a maneira de tocar e de se movimentar em campo. Tá aí a torcida e espero que mais jogos possam ser feitos aqui”, disse o ex-meia-esquerda do Nacional, Sildomar Abtibol.

 

A paixão pelo Nacional mostrada em campo na década de 1970, fizeram o ex-lateral Bendelack ser um dos nomes mais lembrados pelos torcedores. Paraense nascido em Santarém, interior do Pará, o ex-jogador que levantou a taça do Tetracampeonato amazonense em 1981 com o Leão Azul comemorou o aniversário de 62 anos com os parabéns dada pelo fiel azulino.

 

“É a minha terceira vez que volto. A primeira, a torcida mandou me buscar em Santarém; a segunda foi no encontro de ex-craques e agora estou aqui na Arena. Estou feliz e torço para o Nacional ser grande. Acompanho o futebol amazonense e antes não tínhamos medo de times de fora. Batíamos em São Paulo, Corinthians, todo mundo aqui... E hoje os caras vem aqui de Roraima, Acre até Santarém encher o saco aqui. Não pode. Quem manda aqui somos nós. O futebol Amazonense precisa voltar a ser forte”, criticou o ex-jogador cortejado pelos torcedores.

 

“É uma festa linda, é um reencontro. Admiramos o Bendelack, foi um grande jogador. Eu vi ele jogar e jogava demais. Ele era um coringa. Jogava por um lado, pelo outro, foi muito versátil. Era o Bendelack, Murica, o Camarão... Hoje não temos mais esses caras que jogam com amor. E olha que o Bendelack não é amazonense é paraense. Mas não queria saber, ele dava o sangue mesmo. Foi muito legal”, agradeceu o torcedor do Nacional, César Medeiros.

 

Para um dos principais jogadores do Remo e do arquirrival Paysandu, com passagens pelo futebol amazonense no Nacional e Rio Negro, o ex-atacante Patrulheiro não escondeu a felicidade de participar do encontro.

 

“Fazia 27 anos que não vinha a Manaus. E ter essa oportunidade é uma grande satisfação. Sempre que joguei aqui fui bem recebido, e voltar, rever os amigos é tudo de bom. Joguei um ano no Remo, mas tenho uma história mais longa no Paysandu. Foram 12 anos no Paysandu e aqui fui campeão no Nacional e Rio Negro. Joguei nos dois grandes de Belém e nos dois grande de Manaus”, contou.

 

Festa e homenagens

 

A festa e o feliz reencontro dos jogadores que no passado lutaram por um bom futuro do futebol amazonense fez com o que titular da Sejel, Fabricio Lima, que jogou os primeiros 20 minutos de jogo anunciasse duas novas partidas da categoria master na Arena.

 

“É muito bom ver todos eles felizes. Eles que são os responsáveis pela linda e bela história do nosso futebol. Colaborei com o nosso futebol jogando pelo América com o seu Amadeu Teixeira, e com esse sucesso nós vamos fazer mais dois jogos no dia 16 de setembro. Vamos colocar aqui na Arena os ex-jogadores do Fast contra o Sul América e o time do América contra o Penarol. Vamos fazer de tudo para que o nosso Amadeu Teixeira comande o nosso mequinha”, anunciou o secretário.

 

Homenagens

 

O evento ainda contou com homenagens feitas ao cronistas esportivos que na época levaram e ainda levam as emoções aos milhares de torcedores em todo o Amazonas. Os radialistas Valdir Correia e Arnaldo Santos estiveram presentes na entrega da homenagem. Os jogadores do Remo, Patrulheiro e Mesquita também receberam as homenagens dos organizadores do evento.

 

Preliminar

 

No encontro dos veteranos do futebol amazonense, São Raimundo e Rio Negro fizeram uma partida corrida. O Galo da Praça da Saudade abriu o marcador, mas viu o São Raimundo empatar no fim: 3 a 3. O confronto abriu a tarde de jogos na Arena da Amazônia.

 

O jogo

 

Com um futebol refinado e veloz, o Nacional abriu o marcador no gol do lateral Sildomar, que de fora da área chutou firme, a bola bateu no travessão em seguida nas costas do goleiro Edmilson e entrou para o gol: 1 a 0. Em seguida, o Leão paraense empatou em cobrança de falta de Nildo.

 

No segundo tempo, foi a vez do Leão amazonense dominar a partida. No cruzamento rasteiro de Camarão para a área, Oscar fez o corta luz e Sandro mandou de chapa para o gol: 2 a 1.

 

O amplo domínio do Naça fez o time da visitante recuar e o terceiro gol saiu dos pés do meia Fernandinho. Ao se antecipar dos zagueiros, o ex-jogador que já atuou em ambos os times na década de 1980, só fez empurrar para o gol: 3 a 1.

 

Logo em seguida, a ajudinha da zaga remista ao fazer a linha de impedimento, deixou Chiquinho frente a frente com o goleiro que só fez empurrar para o gol: 4 a 1.

 

No belo chute de fora da área de Nildo, o Remo marcou o segundo e o último gol do encontro na Arena da Amazônia: 4 a 2.

 

 

Fonte:Sejel


assessoria/FAF

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Nome:

E-mail:

* Seu e-mail não será publicado

Mensagem:
CURTA A FAF

Av. Constantino Nery, 282 - Centro.

Telefone: (92) 3232-9491

© 2015-2019. Federação Amazonense de Futebol.

Todos os direitos reservados.